Traça

Dedetização de Traças no Rio de Janeiro

Dedetização de Traças

Pelo nome comum de traça são listados alguns grupos de insetos, variando desde espécies de tisanuros (traças dos livros) até lepidópteros (insetos da mesma ordem das borboletas e mariposas) que atacam grãos armazenados e roupas, sendo chamadas de traças das roupas.

Este insetos são desprovidos de asas, apresentam o corpo alongado e com apêndices caudais longos, filiformes, muito característicos. O nome da ordem significa: thysanus (do grego, franja ou fimbria) e oura (do grego, cauda).

Os tisanuros possuem espécies onívoras (que se alimentam de todo o tipo de substrato) e algumas espécies vegetarianas. Estas últimas podem ser encontradas sob folhas, cascas de árvores, madeiras podres ou em ninhos de formigas e cupins.

 

Estas espécies não são economicamente importantes (do ponto de vista de prejuízos econômicos ou à saúde). Algumas espécies frequentam o ambiente doméstico e podem ocasionar danos em livros e outros materiais.

Em relação ao seu desenvolvimento, os jovens assemelham-se aos adultos, exceto por serem menores, apresentando ametabolia, isto é, desenvolvem-se diretamente sem que sofram metamorfose.

Do ovo sai uma forma jovem que cresce, sofre muda várias vezes, até atingir a fase adulta. Após sair do ovo, há, no mínimo, seis ínstares. O tempo de desenvolvimento, em nossas condições climáticas, é de aproximadamente um ano.

As traças apresentam hábitos diurnos e noturnos, sendo ativas à noite e escondendo-se durante o dia, evitando contato direto com a luz.

 

Assim, ao acender-se a luz de um aposento, as traças procuram se esconder em frestas ou atrás de móveis e quadros.

Existem poucos estudos sobre a biodiversidade deste grupo de insetos. As espécies mais comuns encontradas no Brasil são Acrotelsa collaris (Fabricius) e Ctenolepisma ciliata (Dufourd).

Traças dos Livros
Classificação

Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Thysanura

Este insetos são desprovidos de asas, apresentam o corpo alongado e com apêndices caudais longos, filiformes, muito característicos. O nome da ordem significa: thysanus (do grego, franja ou fimbria) e oura (do grego, cauda).

Os tisanuros possuem espécies onívoras (que se alimentam de todo o tipo de substrato) e algumas espécies vegetarianas. Estas últimas podem ser encontradas sob folhas, cascas de árvores, madeiras podres ou em ninhos de formigas e cupins.

Estas espécies não são economicamente importantes (do ponto de vista de prejuízos econômicos ou à saúde). Algumas espécies frequentam o ambiente doméstico e podem ocasionar danos em livros e outros materiais.

Em relação ao seu desenvolvimento, os jovens assemelham-se aos adultos, exceto por serem menores, apresentando ametabolia, isto é, desenvolvem-se diretamente sem que sofram metamorfose.

Do ovo sai uma forma jovem que cresce, sofre muda várias vezes, até atingir a fase adulta. Após sair do ovo, há, no mínimo, seis ínstares. O tempo de desenvolvimento, em nossas condições climáticas, é de aproximadamente um ano.

As traças apresentam hábitos diurnos e noturnos, sendo ativas à noite e escondendo-se durante o dia, evitando contato direto com a luz. Assim, ao acender-se a luz de um aposento, as traças procuram se esconder em frestas ou atrás de móveis e quadros.

Existem poucos estudos sobre a biodiversidade deste grupo de insetos. As espécies mais comuns encontradas no Brasil são Acrotelsa collaris (Fabricius) e Ctenolepisma ciliata (Dufourd).

Traças das Roupas

Classificação

Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Lepidoptera
Família: Tineidae

As traças das roupas possuem coloração clara e medem aproximadamente 1,2-1,5 cm de comprimento. Apresentam na cabeça tufos de pêlos avermelhados e as antenas são um pouco mais escuras do que o restante do corpo.

As traças das roupas voam pouco e não são atraídas pela luz, sendo encontradas em locais escuros, tais como armários e gavetas. Seu desenvolvimento é influenciado pela umidade, sendo o ambiente ideal aquele com umidade relativa próxima a 75%, aquecido e escuro.

As fêmeas depositam uma média de 40 a 50 ovos em um período de 2 a 3 semanas, morrendo logo após a postura. Os ovos, que possuem uma secreção adesiva, ficam aderidos às fibras dos tecidos das roupas.

As larvas sofrem de 5 a 45 mudas, dependendo da temperatura ambiente e do tipo de alimento disponível. As larvas são de coloração esbranquiçada com cabeça escurecida e tecem um casulo, em forma de losango, enquanto se alimentam, podendo ficar parcialmente cobertas por ele.

A alimentação consiste de lã, penas, pêlo, cabelo, couro, poeira, papel e ocasionalmente de algodão, linho, seda e fibras sintéticas. Roupas usadas sujas de bebidas, alimentos, suor ou urina, além daquelas guardadas por muito tempo, são as mais atacadas.

As fezes das larvas das traças das roupas apresentam a mesma coloração das fibras dos tecidos. Quando as larvas estão prontas para pupar, elas migram à procura de frestas.

Métodos de Prevenção

Traças dos Livros:

Para prevenir o ataque destes insetos ou evitar que sua população aumente, as seguintes medidas devem ser tomadas:

– Controlar ou eliminar pontos de umidade, tais como vazamentos de encanamentos.
– Evitar acúmulo de jornais, livros e revistas velhas ou outras fontes de alimento.
– Selar frestas e ranhuras na estrutura, onde estes insetos podem se abrigar.
– Evitar a entrada de material proveniente de locais com histórico de infestação por traças (caixas de papelão, pilhas de livros, jornais, revistas, etc.).
– Limpar periodicamente livros e outros materiais estocados que podem servir de alimento.

Traças das Roupas:

Manter a casa sempre limpa é a forma mais adequada para prevenir e controlar as traças das roupas. Nunca deixe roupas e tapetes empilhados em locais escuros por longo tempo.

Retire-os periodicamente para banho de sol ou lavagem. Nunca guarde roupas usadas dentro do guarda-roupas. Lave-as sempre antes de guardar e passe-as com ferro quente, pois os ovos serão mortos.

Passe sempre o aspirador de pó, utilizando o bico adequado para frestas, nos locais de difícil acesso para a vassoura ou espanador. Desta forma, os casulos são aspirados evitando danos e reinfestações.

Fale conosco hoje mesmo

Métodos de Controle de Traças

Traças dos Livros:

Ao constatar-se uma alta infestação de traças, o uso de produtos químicos devidamente registrados podem ser necessários.

Existem várias formulações inseticidas que podem ser utilizadas para este fim, principalmente formulações líquidas para pulverização de ambientes.

Nestes casos, recomenda-se aplicar o produto em frestas e outras fendas onde o inseto possa se esconder (em paredes, batentes de portas e janelas ou suas molduras, etc), ao redor de estantes, interior e exterior de armários, despensas e outras áreas infestadas ou possíveis de serem infestadas.

Formulações em pó podem, por sua vez, ser aplicadas em áreas onde o resíduo na superfície não cause nenhum problema de exposição ao produto, tais como sótãos, porões ou mesmo em frestas.

Traças das Roupas:

Para se obter um controle efetivo das traças das roupas, faz-se necessário localizar a fonte de infestação antes do tratamento. Faça um exame minucioso dentro de armários e objetos guardados por longos períodos e procure os casulos em forma de losango das larvas ou os danos em roupas, tapetes, etc.

Verifique colchões e travesseiros de penas e feltros que cobrem teclados de pianos. Para facilitar a visualização das traças nos locais de difícil acesso, tais como sob rodapés, nas costuras de estofamentos de sofás, cadeiras e poltronas, em dutos de ventilação e nos cantos de paredes próximos a carpetes, utilize uma lanterna e uma lixa de unhas para facilitar o trabalho.

Tratar as roupas com inseticida não é uma boa tomada de decisão pois os tecidos podem ser danificados. No entanto, as frestas dos locais infestados devem ser tratadas com um inseticida residual.

O uso do frio pode ser um bom controlador das traças de roupas. Coloque as roupas em sacos de polietileno, retirando o ar e armazene-os no freezer por 3 dias.

Clique nas fotos para ampliar: